As ideias autoritárias e o neoliberalismo extremista estão levando o Brasil a uma enorme crise

Tempos estranhos pairam sobre a República, pessoas que se dividem entre defender o presente ou defender a educação. Algum coisa está fora da ordem. Estamos diante de um presidente da República que precisa se amparar no radicalismo e o flerte com o autoristarismo, para tentar governar. O presidente, acredita que após o segundo turno, existe o terceiro, mas não, quem venceu o segundo turno é diplomado presidente, e este deve governar.